Sobre o esforço de dizer o impossível de ser dito:escrita poética e testemunhos

  • Marcia Zucchi Sandra Viola EBP

Resumo

ABSTRACT
This paper aims to examine the similarity and the distance between the experience of writing in literature, or in some literature works more with the sign and less sense, and written testimony of a final analysis. Not that literature which operates more sense not listen echo of the real. However, we propose that, to get closer to the final analysis, it is necessary to consider the writing that dwells over the world of signs.
Thus we arrive at the question whether we can approach the writing of Primo Levi, for example, in his 'Is this a man and some poems', with a testimony of the end of analysis, since Levi witness from the figure of the 'Muslim' rest human at Auschwitz.

KEYWORDS
Writing - testimony - Final Analysis - sense - sign – real

RESUMO
Este trabalho pretende examinar a semelhança e o distanciamento entre a experiência da escrita na literatura, ou em certa literatura que trabalha mais com o signo e menos com o sentido, e a escrita do testemunho de um final de análise. Não que na literatura que opera com mais de sentido não se escutem ecos do real. Entretanto, propomos que, para a aproximação com o final de análise, é necessário considerar-se o escrito que habita mais o mundo dos signos.
Assim chegaremos à indagação se podemos aproximar o escrito de Primo Levi, por exemplo, em seu «É isto um homem e alguns poemas», com um testemunho do final de analise, já que Levi testemunha a partir da figura do «muçulmano», resto de humano no campo de Auschwitz.

PALAVRAS-CHAVE
Escrita – testemunho - final de análise – sentido – signo - real
Publicado
Feb 28, 2014
Como citar
SANDRA VIOLA, Marcia Zucchi. Sobre o esforço de dizer o impossível de ser dito:escrita poética e testemunhos. Afreudite - Revista Lusófona de Psicanálise Pura e Aplicada, [S.l.], v. 10, n. 19/20, feb. 2014. ISSN 1646-3722. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/afreudite/article/view/4324>. Acesso em: 28 apr. 2017.
Secção
Poesia e Psicanálise