As Unidades Neológicas do Português em África

  • Machozi Tshopo Mbangale ULHT

Resumo

Resumo
O português falado em África (Angola e Moçambique) contém numerosos neologismos formais e semânticos. Este artigo explica os processos de criação dos neologismos semânticos que são: a extensão de sentido, a restrição de sentido, o deslizamento de sentido, a metonímia, etc. Classifica igualmente os neologismos em diferentes áreas temáticas: a política, a administração, a economia, a sociedade, o exército, o transporte, a educação, a saúde e a cultura.

Abstract
The spoken Portuguese in Africa (Angola, Mozambique) has many semantic and formal neologisms. This article explains the creation processes of the semantic neologisms that are: the extension of meanings, the restriction of meanings, the sliding of meanings, metonymy, etc. It classifies also the neologisms according to different thematic areas: politics, administration, economy, health, society, transports, army and culture.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Como citar
MBANGALE, Machozi Tshopo. As Unidades Neológicas do Português em África. Babilónia - Revista Lusófona de Línguas, Culturas e Tradução, [S.l.], n. 02/03, dec. 2010. ISSN 1646-3730. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/babilonia/article/view/1805>. Acesso em: 19 apr. 2019.
Secção
Ensaios