Terrorism, Cosmopolitanism and Globalization: Joseph O'Neill's <i>Netherland</i> and Mohsin Hamid's <i>The Reluctant Fundamentalist</i>

  • Susana Araújo Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

This paper examines two “9/11 novels,” Joseph O’Neill’s Netherland (2008) and Mohsin Hamid’s The Reluctant Fundamentalist (2007). Written by writers of different backgrounds but with similarly cosmopolitan career paths, both novels attempt to achieve a transnational perspective on the climate of fear created by the 9/11 attacks. Both novels unveil a history of violence which links colonial legacy and new imperial formations resulting from neoliberal capitalism, ultimately highlighting difficulties in forging an encompassing cosmopolitan perspective at a time of international insecurity.

Keywords: 9/11 Literature, Colonial legacies, Neoliberal capitalism, Cosmopolitanism, Insecurity.

Este artigo examina dois romances sobre os ataques do “11 de Setembro de 2001,” Netherland de Joseph O›Neill, publicado em 2008, e The Reluctant Fundamentalist de Mohsin Hamid, publicado em 2007. Escrito por escritores de diferentes nacionalidades mas com percursos internacionais semelhantes, ambos os romances tentam alcançar uma perspectiva transnacional sobre o clima de insegurança gerado pelos ataques terroristas de 11 de Setembro. Ambos os romances desvendam uma história de violência que une o legado colonial e novas formações imperiais resultantes do capitalismo neoliberal, revelando em última análise dificuldades em forjar uma visão cosmopolita abrangente, face a novas inseguranças internacionais.

Palavras-chave: Literatura do 11 de Setembro de 2011, Legado Colonial, Capitalismo Neoliberal, Cosmopolitanismo, Insegurança.
Publicado
Nov 26, 2013
Como citar
ARAÚJO, Susana. Terrorism, Cosmopolitanism and Globalization: Joseph O'Neill's Netherland and Mohsin Hamid's The Reluctant Fundamentalist. Babilónia - Revista Lusófona de Línguas, Culturas e Tradução, [S.l.], n. 12, nov. 2013. ISSN 1646-3730. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/babilonia/article/view/4110>. Acesso em: 18 aug. 2018.
Secção
Cidades Literárias