A escrita da dor: relações de trauma, memória e narrativa em Quero Viver... Memórias de um ex-morto, de Joseph Nichthauser

  • Vanderléia de Andrade Haiski Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar como o evento do Holocausto é representado na literatura brasileira, através do relato de testemunho Quero Viver... memórias de um ex-morto (1976), de autoria do judeu-brasileiro Joseph Nichthauser, que narra suas memórias como vítima do Holocausto nos anos de 1939 a 1945. A literatura de testemunho difundiu-se pelos diversos países que tiveram eventos violentos ou que acolheram as vítimas de catástrofes, como, por exemplo, o Brasil, que recebeu imigrantes judeus em busca de refúgio no país. Esta obra é o primeiro relato de testemunho escrito em português e publicado no Brasil e, através dela, é possível perceber como questões como o trauma e a memória são abordados por intermédio da narrativa e, também, como a narrativa auxilia o sobrevivente na superação do trauma. As contribuições teóricas de Walter Benjamin, Michael Pollak, Regina Igel e Márcio Seligmann-Silva servem de base para essa pesquisa.

Palavras-chave. Trauma, Memória, Narrativa, Holocausto.
Publicado
Aug 2, 2015
Como citar
HAISKI, Vanderléia de Andrade. A escrita da dor: relações de trauma, memória e narrativa em Quero Viver... Memórias de um ex-morto, de Joseph Nichthauser. Babilónia - Revista Lusófona de Línguas, Culturas e Tradução, [S.l.], n. 13, aug. 2015. ISSN 1646-3730. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/babilonia/article/view/5168>. Acesso em: 27 june 2017.