Revisitando a relação entre museu e comunicação

  • Mary Weinstein

Resumo

Este trabalho busca enfocar a relação entre museu e comunicação, no que tange à publicização de propostas, atividades e agendamento da própria instituição. Tratamos de jornalismo, da opinião pública e da premência de que o museu seja notícia o bastante, entre tantos assuntos que são agendados pelos meios de comunicação, para poder se colocar na mídia. Reconhecemos que o museu em si é um agendador que selecionou o objeto de memória, de arte, ou de qualquer outra natureza, para publicizar, destacar, salientar e colocar em evidência, sendo, portanto, também, um mediador. Então, esta permeabilização da mídia pela seleção que o museu faz se torna um meta agendamento que confirma as escolhas feitas para plasmar a realidade, para valorizar e destacar na sociedade. Para problematizar estes aspectos, recorremos à Teoria da Agenda Setting, ao conceito de opinião pública de Walter Lippman e à constatação de que há uma necessidade de publicizar o patrimônio cultural. Como universo empírico, selecionamos dez museus situados em Salvador, na Bahia.


Palavras-chave: Museu, Agendamento, Jornalismo, Patrimônio Cultural

Publicado
May 30, 2017
Como citar
WEINSTEIN, Mary. Revisitando a relação entre museu e comunicação. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 53, n. 9, may 2017. ISSN 1646-3714. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/5892>. Acesso em: 11 dec. 2017.