Do daguerreótipo ao protótipo: elementos sobre a digitalização da fotografia

  • Maria Teresa Mendes ULHT

Resumo

Partindo dos vários tipos de práticas que o termo «fotografia digital» recobre, este artigo apresenta algumas das características da imagem digital contrastando-as com as da fotografia química e que nos permitem pensar estarmos perante um novo meio. Em especial, discute-se o carácter indicial da fotografia, na base do qual se constituiu o fundamental do pensamento fotográfico do último século e meio, e o modo como o digital desestabilizou esse modelo de pensamento a favor de uma visão prospectiva e modelar, liberta do «peso» da realidade capturada, mas continuando a simular o seu efeito de realidade. Isto mesmo nos mostram, por exemplo, os trabalhos dos fotógrafos Nancy Burson ou Aziz&Cucher. As «fotografias digitais» permitem uma nova poética comandada, agora de forma mais total, pela imaginação. Ela alia o que de mais poderoso tem o fotográfico – a captação da realidade – com o que de melhor pode oferecer a pintura – a liberdade criativa.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Como citar
MENDES, Maria Teresa. Do daguerreótipo ao protótipo: elementos sobre a digitalização da fotografia. Caleidoscópio: Revista de Comunicação e Cultura, [S.l.], n. 2, july 2011. ISSN 1645-2585. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/caleidoscopio/article/view/2194>. Acesso em: 25 june 2019.
Edição
Secção
Artigos