A persistência do projecto português nos documentos daNunciatura Apostólica de Lisboa

  • Fernanda Cristina Santos

Resumo

Nas primeiras décadas do século XVIII, as relações de Portugal com Roma processavam-se com relativa normalidade. Aceitava-se um poder político centrado na pessoa do monarca, independente de qualquer tutela. Decorrente disso, o Estado reconhece com dificuldade a existência de uma outra sociedade que se proclame independente a seu respeito. O sistema de privilégio, amplamente utilizado pelo pode rabsoluto iluminado,introduzirá ambiguidades no delicado mecanismo das relações entre Igreja e Estado, todavia a ingerência do poder civil nas questões religiosas nem sempre deu bom resultado.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Oct 14, 2013
Como citar
SANTOS, Fernanda Cristina. A persistência do projecto português nos documentos daNunciatura Apostólica de Lisboa. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 16-17, oct. 2013. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/3813>. Acesso em: 20 may 2019.
Secção
Parte I - Para a história do Arquivo Secreto do Vaticano