Fé e narrativas de progresso – um pequeno contributo teórico

  • Joaquim Costa

Resumo

Por que razão a necessidade religiosa tem sido tão asperamente anti-progressista? Porque é que os pobres têm procurado tanto o “evangelismo//carismatismo”? Porque é que os antigos movimentos progressistas, incluindo alguns ramos da Acção Católica, se foram esvaziando, enquanto os Novos Movimentos Eclesiais se enchiam de gente, alguma dela trânsfuga do progressismo? Por que motivo os deserdados do Islão rejeitaram a sua “Teologiada Libertação”? Porque é que o extremismo islâmico recruta tanto nas classes médias e nas universidades?Como explicar a tendência para o culto religioso desinstitucionalizado, individual ou familiar?

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Oct 14, 2013
Como citar
COSTA, Joaquim. Fé e narrativas de progresso – um pequeno contributo teórico. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 16-17, oct. 2013. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/3828>. Acesso em: 25 mar. 2019.