Velhos “cristãos-novos” no sertão paraibano

  • Neide Miele

Resumo

Devido às tradições culturais brasileiras, sobretudo no Nordeste, onde o cadinho da História fundiu as culturas indígena, africana e europeia, o país tornou-se sui generis e profundamente sincrético. No Brasil colonial, os “cristãos-novos” se constituíram em produtores e grandes mercadores de cana-de-açúcar. Entretanto, perseguidos de morte pela Inquisição, eles tiveram de fugir. Alguns para além-mar, e muitos para dentro do continente, em direção à zona semi-árida do Sertão. Embora a “religião judaica”, em termos estritos, não tenha sobrevivido nesta região, a “religiosidade judaica” deixou profundos traços nos usos e costumes praticados pela população, muitas vezes ignorando sua procedência. Este estudo empírico coloca algumas questões teóricas.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Oct 23, 2013
Como citar
MIELE, Neide. Velhos “cristãos-novos” no sertão paraibano. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 13-14, oct. 2013. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/3923>. Acesso em: 20 may 2019.