Caminho marítimo – O elemento oriental na cosmologia d’Os Lusíadas

  • João Beato

Resumo

Acosmologia d’Os Lusíadas revela uma compreensão do Universo em que Religião,Estética e Ciência se articulam num sistema unitário, resultante da harmonização, criada por Luís de Camões, entre Paganismo e Cristianismo. Este caminho espiritual, a que atribuo o termo de desdramatização, consiste num processo da consciência em que se esbatem as oposições dualistas entre sujeito e objecto, ou seja, em que deixa de haver uma distinção dramática entre o “eu” e o “outro”: a transcendência da identificação do “eu” com o aspecto do corpo a partir do qual se constrói a persona. A superação do universo dionisíaco realizada através da relação subjectiva do ser humano com a divindade e da relação objectiva da divindade com o ser humano, relações essas mediadas pelo universo da Sensibilidade e da Criatividade. Esta forma de espiritualidade, o erotismo camoniano, terá resultado da compreensão comparada das tradições espirituais ocidentais e orientais.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Nov 12, 2013
Como citar
BEATO, João. Caminho marítimo – O elemento oriental na cosmologia d’Os Lusíadas. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 11, nov. 2013. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/4048>. Acesso em: 20 may 2019.
Secção
Parte I: O Budismo uma proximidade do Oriente – ecos, sintonias e permeabilidades no pensamento português