Para uma revolução epistemológica dos estudos indológicos

  • José Carlos Calazans

Resumo

A tese romântica de uma invasão ariana na Índia (que os historiadores positivistas tradicionais defendiam e que ainda hoje se mantêm), não podia tolerar a vetusta antiguidade dos Vedas, provada pela informação astronómica neles contida. De facto, nos Vedas não se encontra uma única referência a invasão, nem aí consta nenhuma descrição geográfica que possa ser identificável com a Ásia central, com os Balcãs ou com a Anatólia. (…) O modelo de autenticidade científica actual, atravessa uma profunda crise do paradigma dominante originado pelo racionalismo, que no caso da Indologia começou com Max Müller, A. B. Keith, J. Eggeling, W. D. Whitney, A. A. Macdonell e outros.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Nov 21, 2013
Como citar
CALAZANS, José Carlos. Para uma revolução epistemológica dos estudos indológicos. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 9-10, nov. 2013. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/4089>. Acesso em: 24 mar. 2019.