Fundamentalismo protestante e pentecostalismo: distanciamento e proximidade

  • Osiel Lourenço de Carvalho

Resumo

Enquanto os fundamentalistas consideravam os dogmas a base do cristianismo, os pentecostais não se preocupavam com doutrinas. Para eles a essência cristã estaria além da dogmática, pois o encontro com Deus seria intermediado não pelo texto bíblico, mas sim pela experiência com o Espírito Santo; além disso, não se explicaria a realidade pelos conceitos e pela razão. Para os pentecostais “O espírito intercede pornós com gemidos inexprimíveis”, desse modo Deus excedia a linguagem racional. O presente artigo pretende descrever a origem do fundamentalismo e do pentecostalismo, de modo a estabelecer as possíveis relações entre esses dois movimentos. A metodologia empregada consistiu em pesquisa bibliográfica a respeito do tema. Algumas de nossas conclusões são de que no início do século XX fundamentalismo protestante e pentecostalismo possuíam mais distanciamentos do que proximidades.
Publicado
Jun 19, 2014
Como citar
CARVALHO, Osiel Lourenço de. Fundamentalismo protestante e pentecostalismo: distanciamento e proximidade. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 18-19, june 2014. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/4500>. Acesso em: 28 mar. 2017.
Secção
Parte III: Olhares sobre temas definidores do Estudo das Religiões