Raízes de um cristianismo exacerbado

o Anticlericalismo de Junqueiro

  • Henrique Manuel Pereira

Resumo

Resumo
Guerra Junqueiro (1850-1923) ocupa lugar de relevo na visibilidade expressiva e sintomática do fenómeno anticlerical português, tendo o seu anticlericalismo expressão particularmente violenta em A Velhice do Padre Eterno (1885), com manifesto prolongamento em Pátria (1896), a ponto de ambas as obras terem sido apontadas como “o evangelho do anticlericalismo em Portugal”. Todavia, a visibilidade do anticlericalismo junqueiriano precede em muitos anos aquela primeira obra. O presente artigo ocupa-se, pois, das raízes do anticlericalismo de Junqueiro. Para o efeito, cruzando argumentos e “demolindo adquiridos”, persegue em particular a composição poética “O Cura da minha aldeia”, ainda não devidamente historiada e inscrita na Obras de Guerra Junqueiro (Poesia).
Palavras-Chave: Guerra Junqueiro, Anticlericalismo, A Velhice do Padre Eterno, O Peregrino, Obras Completas.


Abstract
Guerra Junqueiro (1850-1923) occupies a prominent place in the expressive and symptomatic visibility of the Portuguese anticlerical phenomenon, his anticlericalism having a particularly violent expression in A Velhice do Padre Eterno (1885), with a manifest extension in Pátria (1896), having both works pointed out as “the gospel of anticlericalism in Portugal”. However, the visibility of Junqueira's anticlericalism precedes that first work in many years. Hence, the present article is concerned with the roots of Junqueiro's anticlericalism. To this end, crossing arguments and “demolished the previous acquired”, he particularly pursues the poetical composition “O Cura da minha aldeia”, not yet properly recorded and inscribed in Obras de Guerra Junqueiro (Poetry).
Keywords: Guerra Junqueiro, Anticlericalism, The Old Age of the Eternal Father, The Pilgrim, Complete work

Publicado
Nov 27, 2017
Como citar
MANUEL PEREIRA, Henrique. Raízes de um cristianismo exacerbado. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], v. 1, n. 20, nov. 2017. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/6130>. Acesso em: 16 dec. 2018.