O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA: MOVIMENTOS E PROCESSOS IDENTITÁRIOS JUNTO À PROFISSÃO PROFESSOR

  • Talamira Taita Rodrigues Brito

Resumo

Resumo

O Estágio Supervisionado nos cursos de formação de professores apresenta-se como condição básica para a formação do profissional que trabalhará com crianças, jovens e adultos em processos de escolarização. No caso do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), este estágio visa proporcionar experiências formativas para os graduandos junto à Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental. O objetivo deste texto é de apresentar um pouco dessa experiência como professora de Estágio e apontar a importância, bem como a necessidade de encontrar no Estágio Supervisionado um espaço de movimentos Identitários junto à profissão de professor. Aparentemente é lugar comum esperar que o estágio de fato se apresente como essa ponte entre a realidade dos alunos da graduação com a realidade profissional que os espera após sua formação, porém a partir de nossos trabalhos realizados como orientadora, supervisora e coordenadora junto a essa disciplina, percebemos que por muitas vezes é no Estágio, e somente no Estágio que tal aluno consegue se perceber como pertencente a um grupo que tem saberes específicos, como sendo responsável por outros sujeitos e se reconhece como partícipe de um processo que envolve outras histórias, outros atores. É nesse ambiente que pretendemos ampliar nosso debate. Por muitos anos no Estágio, os alunos afirmavam que não seguiriam a profissão de professor em sala de aula por acharem que depois da experiência vivenciada por eles não "levavam jeito para a coisa", "não sabiam planejar aulas eficientes", ou que de "fato não sabiam cuidar de crianças", nem tão pouco gostavam da situação precária social que os professores se encontravam/e ainda se encontram nas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental - Series Iniciais no Brasil. A partir do ano de 2002, a disciplina de estágio Supervisionado passou a gerar espaços de maiores diálogos entre as escolas da comunidade, os alunos/estagiários e professores/orientadores quando percebemos o grau de responsabilidade que tínhamos como professoras, que para além de ensinar conteúdos destinados aos saberes docentes, éramos também responsáveis por apresentar a importância de uma "felicidade" junto à sua profissão. Os percursos trilhados por esta disciplina tentou fortalecer questões inerentes ao ser professor, ao que é a escola, à carreira e o aprendizado contínuo, afagou as questões inerentes ao papel do professor para a sociedade, para a história das profissões e tentou situá-los na condição de continuidade nos processos identitários junto à profissão. Para tanto recorremos a um trabalho coletivo junto à comunidade de professores, coordenadores pedagógicos, diretores, orientadores de estágio e estagiários na perspetiva de renovar o sentido do estagiário na escola, do professor regente e dos próprios orientadores nesse processo formativo. Os diários de bordo, as reuniões semanais com todos os sujeitos envolvidos no processo, bem como espaços para estudos sobre a escola básica/professor/campo de trabalho foram elementos imprescindíveis nesse reconhecimento de si. O texto oferece assim uma referência para trabalhos na área, possibilitando a ampliação dessa discussão que vive de movimentos da prática para se renovar e renovar os estudos do tema em questão.

Palavras-chave: Escola Básica; Movimentos Identitários; Formação de Professores; Profissão Professor; Estágio Supervisionado.

Abstract

The Period of training Supervised in the courses of formation of professors is presented as basic condition for the formation of the professional who will work with children, young and adults in schooling processes. In the case of the Course of Pedagogy of the Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), this period of training aims at to provide formative experiences for the Pedagogy's students next to the childish Education and early Series of Basic Education. The objetive of this text is to present a little of this experience as teacher of Period of training and to point the importance, as well as the necessity of to find in the Supervised Period of training a space of identity movements next to the professor profession. Apparently it is common to wait that the period of training in fact presents as this bridge between the reality of the students of the graduation with the professional reality that they will face after their formation, however from our carried through works as orienting, supervisor and coordinator next to this disciplines, we realized that for many times it is in the Period of training, and only in the Period of training that such students got to find themselves belonging to a group that has  specific knowledge, as being responsible for other citizens and they recognize themselves as participants of a process that involves other histories, other actors. It is in this environment that we intend to extend our debate. For many years in the Period of training, the students affirmed that they did not follow the carrier of professor in classroom for beliving that after the experience lived for them "they did not take skill for the thing", "did not know to plan efficient lessons", or "in fact they did not know to take care of children", nor they liked the social precarious situation in which professors were and still are in it in the schools of Infantile Education and Basic Education - Initial Series in Brazil. Since 2002 the disciplines of Supervised period of training started to generate spaces of bigger Dialogues between the schools of the community, the pupils/trainees and orienting professors when we realized the responsibility that we had as teachers, beyond teaching contents destined to the knowing professors, we were also responsible for presenting the importance of a "happiness" next to its profession. The paths trodden by this discipline tried to fortify inherent questions to the being professor, to the what it is the school, to the career and the continuous learning, fondled the inherent questions to the paper of the professor for the society, to the history of the professions and tried to point out them in the condition of continuity in the identity processes next to the profession. For in such a way we appeal to a collective work next to the community of professors, pedagogical, managing, orienting coordinators of period of training and trainees in the perspetive to renew the direction of the trainee in the school, the professor regent and the proper people who orientates in this formative process. The logbooks, the weekly meetings  with all the involved citizens in the process, as well as spaces for studies on the basic school/professor/work field had been essential elements in this recognition of itself. The text offers thus to a reference for works in the area, making possible the magnifying of this quarrel that lives by movements of the practice to own renew and to renew the studies of the subject in question.

Keywords: Basic School; Identity Movements; Teachers training; Teachers Carrier; Supervised Period of training.

Publicado
Jul 2, 2011
Como citar
RODRIGUES BRITO, Talamira Taita. O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA: MOVIMENTOS E PROCESSOS IDENTITÁRIOS JUNTO À PROFISSÃO PROFESSOR. Revista EduSCIENCE, [S.l.], v. 1, p. 55 - 62, july 2011. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/eduscience/article/view/2161>. Acesso em: 26 june 2017.
Secção
Eixo temático 2 – Perspetivas: Escola, Identidade e Profissionalismo