Estudo dos níveis de atividade física de uma população rural portuguesa

  • Gonçalo Dias Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEF.UC/CIDAF), Coimbra, Portugal
  • Filipe Clemente Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEF.UC/CIDAF), Coimbra, Portugal Instituto Politécnico de Coimbra, ESEC, DE (IPC.ESEC), Coimbra, Portugal
  • Rúben Rocha Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEF.UC/CIDAF), Coimbra, Portugal
  • Fernando Martins Instituto Politécnico de Coimbra, ESEC, DE (IPC.ESEC), Coimbra, Portugal Instituto de Telecomunicações (IT-Covilhã), Covilhã, Portugal
  • Raul Martins Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEF.UC/CIDAF), Coimbra, Portugal
  • Rui Mendes Instituto Politécnico de Coimbra, ESEC, DE (IPC.ESEC), Coimbra, Portugal Centro Interdisciplinar de Estudos da Performance Humana (CIPER.FMH), Lisboa, Portugal
  • António Lopes Faculdade de Educação Física e Desporto da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal

Resumo

Este estudo teve como objetivo avaliar os níveis de atividade física de uma população rural portuguesa e contextualizar as implicações práticas na saúde. Foi aplicado o questionário de atividade física IPAQ (International Physical Activity Questionnaire) – versão curta 8 e versão longa 6, instrumento validado no Brasil e indicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para estimar o nível de atividade física de populações de diferentes países. A amostra foi constituída por 21 mulheres (M=42.37, SD=2.20 anos de idade) e 21 homens com (M=39.14, SD=3.23 anos de idade) para aplicação do IPAQ versão curta, bem como 25 mulheres (M=34.92, SD=2.41 anos de idade) e 25 homens (M=35.76, SD=2.78 anos de idade) para aplicação do IPAQ versão longa, isto num total de 92 participantes. Os resultados dos dois questionários indicam uma tendência de os indivíduos do género masculino serem mais ativos do que os do género feminino, principalmente em atividades vigorosas e intensas, excetuando o ambiente familiar. Constata-se ainda que baixos níveis de atividade física e hábitos de vida sedentários podem ter consequências nocivas para a saúde, principalmente no que diz respeito ao aumento de doenças cardiovasculares, hipertensão arterial e risco de incidência de cancro.

Palavras-chave: atividade física, imagem corporal, saúde, estilos de vida, população rural.

 

Study of physical activity levels on a Portuguese rural population

The aim of this study was evaluate the physical activity levels on a Portuguese rural population and contextualize the practical implications on their health.  It was applied the IPAQ (International Physical Activity Questionnaire) – large version (8) and short version (6) validated for the Brazilian population and suggested by the WHO (World Health Organization) to estimate the physical activity level of different population over the world. Were analysed 21 females (M=42.37, SD=2.20 years old) and 21 male citizens (M=39.14, SD=3.23 years old) using the short IPAQ version. We also analysed 25 female (M=34.92, SD=2.41 years old) and 25 male citizens (M=35.76, SD=2.78 years old) using the large IPAQ version. Both questionnaires showed a tendency to male citizens be more active, mainly performing vigorous and intensity activities, excepted in family environment. It was also observed that low physical activity levels and non-active style of lives may have non-desirable consequences on health, mainly on heart diseases, hypertension and cancer risk.

Keywords: physical activity, body image, health, life styles, rural population.

 

Publicado
Dec 19, 2014
Como citar
DIAS, Gonçalo et al. Estudo dos níveis de atividade física de uma população rural portuguesa. Gymnasium - Revista de Educação Física, Desporto e Saúde, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 59-86, dec. 2014. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/gymnasium/article/view/4401>. Acesso em: 27 may 2017.

Palavras-chave

atividade física, imagem corporal, saúde, estilos de vida, população rural.