Principais entraves na via de autonomização dos Estudos do Turismo: anarquismo epistemológico ou concertação estratégica?

  • Francisco Dias Universidade Lusófona

Resumo

Resumo: O presente artigo tem como objectivo demonstrar que acredibilização e dignificação institucional da área científica do Turismojunto da tutela ministerial não é uma questão de esforço dedemonstração das bases epistemológicas do Turismo, mas sim umaquestão de concertação estratégica da emergente comunidade deinvestigadores do Turismo. Parte-se do pressuposto de que aemancipação das áreas científicas é um processo complexo e gradualque inclui 3 dimensões relevantes: (1) epistemológica; (2) social eeconómica; (3) político-institucional e identitária.São formuladas duas hipóteses: a primeira hipótese assume que, naatribuição do estatuto de autonomia a áreas científicas, a dimensãopolítico-institucional e identitária tem primazia sobre a dimensãoepistemológica; a segunda hipótese sustenta que a crescenteimportância social e económica do Turismo tem servido para atrairfinanciamentos para as universidades, subsidiando projectos e gruposde investigação atomizados pelas diversas unidades de I&D dasvárias ciências sociais reconhecidas (Economia, Geografia, Sociologia,Antropologia, etc…), sendo este facto um obstáculo à autonomizaçãodo Turismo como área científica interdisciplinar. Estas duas hipótesesobtiveram corroboração empírica através da análise da lista de áreascientíficas da FCT e da distribuição dos grupos de investigação doTurismo pelas diversas unidades de I&D reconhecidas e avaliadas pelaFCT em 2007.É ainda aventada a hipótese, a qual só o tempo poderá validar,segundo a qual a emergente comunidade de investigadores doTurismo, maioritariamente vinculada ao Politécnico, tentará contrariara actual tendência de espartilhamento disciplinar, apostando cada vezmais na criação de grupos de investigação interdisciplinares, o que levará ao reconhecimento dos Estudos do Turismo como áreacientífica autónoma. Assume-se ainda que a dignificação dos Estudosdo Turismo passa pela sua emancipação, a qual tarde ou cedo seráconseguida, como o resultado cumulativo das seguintes linhasevolutivas: (1) a crescente aposta na formação pós-graduada emTurismo; (2) a criação de novas unidade de investigação em Turismonas instituições de ensino onde existem Mestrados e Doutoramentosem Turismo; (3) o contínuo esforço de dignificação do EnsinoPolitécnico; (4) a procura de pontos de referência em outros países,onde o ensino e a investigação têm forte tradição.Palavras-chave: Turismo; Investigação; Emancipação; Epistemologia.Abstract: This paper aims to make obvious that the process ofrecognition of Tourism Studies as an emancipated domain by thePortuguese Ministry of Science doesn’t depend mainly on thedemonstration of the epistemological status of Tourism but on thestrategic agreement of the community of tourism researchers. Thisreflection is based on the proposition that the emancipation ofscientific domains is a complex and ongoing process that includesthree relevant dimensions: (1) epistemological; (2) social eeconomic; (3) political/institutional and identitarial.Two main hypotheses are presented: the first hypothesis argues thatthe political/institutional and identity dimension is much moreimportant than the epistemological one in the assigning of autonomystatus to a scientific domain; the second hypothesis holds that thegrowing social and economic importance of tourism has served toattract funding for universities, by subsidizing projects and researchgroups split in various research units of R&D of different socialsciences (economics, geography, sociology, anthropology, etc ... ).This fact is one among other obstacles to the empowerment ofTourism as an interdisciplinary scientific area. These two hypothesesreceived empirical corroboration by examining the list of scientificareas of the FCT and by analyzing the distribution of research groupsin Tourism along the various research units of R & D recognized andevaluated by the FCT in 2007.It is also postulated that the emerging community of Tourismresearchers, mostly linked to the Polytechnic institutions, will try tocounteract the current trend of fragmentation along differentscientific disciplines, focusing increasingly on the creation ofinterdisciplinary research groups which will lead to the recognition ofTourism Studies as an autonomous scientific area. It is furtherassumed that the status improvement of the research in the field ofTourism Studies depends on their emancipation, which sooner or laterwill be achieved as the cumulative result of the following trends:(1) the growing number of postgraduate courses in Tourism,(2) the creation of new research units in Tourism at institutionswhere there is postgraduate education in Tourism,(3) the ongoing effort to dignify the Polytechnic institutions,(4) the benchmark and the comparison with other countries wherethe tourism education and research has a strong tradition.Key-words: Tourism; Research; Emancipation; Epistemology.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Mar 6, 2012
Como citar
DIAS, Francisco. Principais entraves na via de autonomização dos Estudos do Turismo: anarquismo epistemológico ou concertação estratégica?. Cogitur, Journal of Tourism Studies, [S.l.], v. 4, n. 4, mar. 2012. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/jts/article/view/2694>. Acesso em: 22 apr. 2019.
Secção
Artigos Científicos