Diz-me quanto ganhas, dir-te-ei quem és...

  • Luís Bensaja dei Schirò ULHT

Resumo

Se é verdade o que dizem os entendidos nestas matérias, que o maior dom que recebemos foi a inteligência, o raciocínio, a capacidade de nos movimentarmos no labirinto das operações abstractas, e seria isso que nos distinguiria dos nossos primos animais (ditos irracionais), é igualmente verdade que esse dom maravilhoso pode assumir, e tem assumido ao longo da História, sempre em nome de boas causas e do bem comum, aspectos extremamente perversos: justificou-se com argumentos irrefutáveis, com lógica cartesiana (em boa verdade demasiadas vezes com a ajuda da força para melhor convencer...) a Inquisição, a escravatura, a prostituição, a tortura, o genocídio, o lager e o gulag, transformando com um toque de varinha mágica assassinos em heróis e heróis em malfeitores.
Publicado
Sep 2, 2011
Como citar
DEI SCHIRÒ, Luís Bensaja. Diz-me quanto ganhas, dir-te-ei quem és.... Res-Publica - Revista Lusófona de Ciência Política e Relações Internacionais, [S.l.], sep. 2011. ISSN 1646-3862. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/respublica/article/view/2405>. Acesso em: 20 sep. 2017.