SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS

  • Vítor Martins Primo Universidade Lusófona do Porto

Resumo

Quase todos os dias somos confrontados com notícias nos órgãos de comunicação social referindo a ocorrência de incêndios urbanos de onde resultam avultados prejuízos materiais e muitas vezes também vítimas pessoais. Apesar do mediatismo dos incêndios florestais no período de verão, constata-se que são os incêndios urbanos aqueles que mais contribuem para a contabilidade das vítimas resultantes de incêndios. Mas, afinal, qual é o conhecimento que temos em Portugal da realidade deste risco coletivo? Quantos incêndios urbanos acontecem por ano em Portugal? Qual a sua distribuição geográfica? Quantas vítimas mortais ou feridos se registam neste tipo de ocorrência? Qual é a sua distribuição temporal? Quais as causas? Qual a utilização-tipo onde existe maior risco de ser afetado por um incêndio urbano? Empiricamente constata-se que os centros urbanos antigos são as zonas mais suscetíveis de serem afetadas pela ocorrência e propagação de um incêndio urbano. Colocam-se então as questões do conhecimento que temos deste risco e das medidas que podem ser adotadas para reduzir as suas consequências.
Publicado
Aug 16, 2013
Como citar
PRIMO, Vítor Martins. SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS. e-LP Engineering and Technology Journal, [S.l.], v. 4, aug. 2013. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/revistae-lp/article/view/3585>. Acesso em: 24 june 2017.
Edição
Secção
Artigos