ESPONDILOPATIA CERVICAL OU SÍNDROME DE WOBBLER: DIAGNÓSTICO IMAGIOLÓGICO

  • Diana Jacinto Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Tiago Marques Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Fábio Correia Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Hugo Ferreira Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • António Patrício Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Alexandre Mourato Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Carolina Monteiro Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Ana Santana Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

A espondilopatia cervical uma patologia de etiologia multifactorial, que leva a um estreitamento do canal vertebral e consequentemente compressão da medula espinhal cervical caudal e das raízes nervosas, devido a alterações anatómicas e posicionais ao nível das vértebras cervicais (C5, C6 e C7). Os animais afectados, mais frequentemente raças grandes (Dobermen e Dogue Alemão) podem apresentar ataxia dos membros pélvicos, com ou sem dor cervical, que pode progredir para défices neurológicos dos membros anteriores e em última instância quadriplegia. O diagnóstico desta patologia é feito com base na sintomatologia clínica e exames de imagem (mielografia, tomografia axial computorizada e/ou ressonância magnética). O tratamento pode ser médico ou cirúrgico de acordo com o grau de afecção sendo também o prognóstico variável.   

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Como citar
JACINTO, Diana et al. ESPONDILOPATIA CERVICAL OU SÍNDROME DE WOBBLER: DIAGNÓSTICO IMAGIOLÓGICO. Revista Lusófona de Ciência e Medicina Veterinária, [S.l.], v. 2, jan. 2010. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rlcmv/article/view/1113>. Acesso em: 27 june 2019.
Edição
Secção
Revisões Bibliográficas