JOGOS DE COMPUTADOR VIOLENTOS E SEUS EFEITOS NA HOSTILIDADE, ANSIEDADE E ACTIVAÇÃO FISIOLÓGICA

  • Patrícia Arriaga Ferreira Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Maria Paula Carneiro Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Maria Lurdes Miguéis Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Sandra Soares Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Francisco Esteves Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

Este estudo analisou os efeitos da violência dos jogos electrónicos no estados de hostilidade, ansiedade e a activação emocional em Estudantes Universitários. Participaram nesta experiência 28 indivíduos, do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos. Foram utilizados dois jogos de computador, ambos de acção, mas de conteúdo distinto: um jogo de corridas, não violento e um jogo classificado pela indústria de “tiro-neles”, com violência. Para avaliar a activação fisiológica foi medido o batimento cardíaco antes e durante as duas condições experimentais. AHostilidade e a Ansiedade Estado foram avaliadas através de medidas de auto-relato, aplicadas após os indivíduos terem jogado ambos os jogos. Os resultados evidenciaram que jogar jogos de computador exercem um impacto inicial na frequência cardíaca, com tendência a diminuir ao fim de um certo tempo de habituação. Em relação aos efeitos da violência, verificámos que jogar jogos com conteúdos violentos pode aumentar a curto prazo pensamentos e sentimentos de hostilidade. Não se registaram diferenças ao nível da ansiedade entre os dois grupos, mas verificou-se que maiores índices de ansiedade estavam associados a uma menor frequência de jogo e de tempo dispendido em cada sessão.

Como citar
FERREIRA, Patrícia Arriaga et al. JOGOS DE COMPUTADOR VIOLENTOS E SEUS EFEITOS NA HOSTILIDADE, ANSIEDADE E ACTIVAÇÃO FISIOLÓGICA. Revista Lusófona de Ciências da Mente e do Comportamento, [S.l.], v. 1, n. 1, nov. 2009. ISSN 1646-5245. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rlmente/article/view/969>. Acesso em: 26 june 2017.
Secção
Artigos