Desejos…

  • Ana Cristina Tavares Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

A secretária, uma mulher ossuda com lentes grossíssimas em aros de tartaruga, corre acenando com um livrinho preto encadernado: — Doutor, doutor! — Sim, do que se trata? — Desculpe, mas quando chegou do almoço esqueci-me de lhe dizer que aquela nova cliente …— Interrompendo-a bruscamente e elevando o tom de voz: — Quantas vezes já lhe disse que são «pacientes» e não «clientes»?! Diga lá … — Aquela nova paciente de ontem, a senhora elegante e alta, passou por cá hoje, deixou este caderno de notas e recomendou-me que lho entregasse pessoalmente. — Sim, já sei o que é, pode dar-mo e traga-nos dois chás, por favor. António Sepúlveda e Miguel Antunes, o seu assistente estagiário, um jovem engravatado e vestido de escuro entram na sala de tons claros, decorada com pinturas surrealistas. Uma confortável chaise-longue alaranjada ocupa a parte central da sala que tem umas largas janelas de vitrais geométricos.
Secção
Escrita Criativa