Neoconservatism in the United States and the institutionalized exclusion of Poor Women

  • Josefina Figueira-McDonough Arizona State University

Resumo

A marginalidade da mulher pobre e presa tem uma longa história. A pobreza é vista como indicador de desvio normal.  As mulheres abandonadas, separadas ou sós eram castigadas pelas instituições e com zelo missionário para controlar os seus comportamentos. A presente discussão concentra-se nos últimos quinze anos. O quadro analítico examina a re-estruturação económica e a ideologia neo-conservadora subjacente às políticas que afectam as mulheres.

Palavras-chave: mulher, marginalidade, pobreza, ideologia, neo-conservadorismo, EUA