Notas sobre o Catolicismo em Fortaleza, da Transição Republicana ao Vaticano II

  • Ney de Souza
  • Tiago Geyrdenn

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar três situações entrelaçadas na formação da realidade econômica, política e religiosa do Ceará: catolicismo, realidade cearense e o episcopado do período. Marcada em sua contextura histórica pelo ultramontanismo, a arquidiocese de Fortaleza é herdeira do bispado do Ceará, fundado no período imperial, portanto, dentro do regime de padroado. Também é fortemente marcada por aspectos geográficos, como o fenômeno da seca. A seca não é um fenômeno simplesmente climático, mas também cultural, político e social, sendo, por vezes, incapaz de ser dissociado do éthos do cearense. Para compreender o processo histórico de desenvolvimento desta arquidiocese, faz-se necessário também apresentar os bispos que estiveram à frente da mesma, até o período do episcopado de Dom José de Medeiros de Delgado.


Palavras-chave: Arquidiocese de Fortaleza, Ceará, ultramontanismo, seca, padroado

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Feb 22, 2019
Como citar
DE SOUZA, Ney; GEYRDENN, Tiago. Notas sobre o Catolicismo em Fortaleza, da Transição Republicana ao Vaticano II. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], v. 21, n. 1, p. 189-213, feb. 2019. ISSN 2183-3737. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/6673>. Acesso em: 22 aug. 2019.