REGULAÇÃO AUTÓNOMA E FREQUÊNCIA DE PRÁTICA DE ATIVIDADES DE FITNESS

  • João Miguel Raimundo Peres Moutao Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal; Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) – Vila Real, Portugal
  • Susana Mendes Alves Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal; Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) – Vila Real, Portugal
  • José Carlos Leitão
  • José Alves
  • Nuno Couto Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal
  • Luis Cid Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal; Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) – Vila Real, Portugal
Palavras-chave: motivação, fitness, adesão ao exercício.

Resumo

A teoria da autodeterminação assume que o que diferencia os praticantes de exercício mais assíduos dos restantes é o seu elevado grau de internalização do valor do exercício. Partindo deste pressuposto, o presente estudo objetiva a análise da relação entre a regulação autónoma e a adesão ao exercício. Participaram neste estudo 175 praticantes de fitness, do sexo feminino (102) e masculino (73), com idades compreendidas entre os 16 e os 70 anos. A adesão ao exercício foi medida ao longo de 12 meses com recurso ao sistema informático de controlo das entradas nos respetivos ginásios e a regulação autónoma foi avaliada através da versão portuguesa do Behavioural Regulation in Exercise Questionnaire 2. Os resultados revelaram a existência de uma relação significativa e positiva entre a regulação autónoma e a frequência mensal de prática de exercício(r = .48; p < .00). O grupo de praticantes mais assíduos revelou um valor de regulação autónomasuperior (t = -2.67; p < .00), comparando com o grupo de praticantes menos assíduos.

Palavras-chave: Teoria da Auto-determinação, fitness, adesão continuada.


Publicado
2012-10-26