O fraccionamento de comprimidos no ajuste posológico de fármacos: exemplo do diazepam

  • Maria Luisa Vieira Erisa - Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches
  • JOana Lobo Antunes Erisa - Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches
  • Catarina Pecorelli ERISA / Faculdade de Ci~encias e Tecnologias da Universidade Lusófona
Palavras-chave: Diazepam, fraccionamento de comprimidos, uniformidade das fracções.

Resumo

Aprática de fraccionamento de comprimidos é realizada pela população em geral, como forma de ajuste posológico, para facilitar a deglutição ou reduzir os custos. No caso do diazepam esta questão revela enorme importância, uma vez que existe frequentemente a necessidade de ajuste da sua dosagem, devendo ser determinada individualmente e de acordo com o tipo de tratamento. O principal objectivo do presente trabalho foi avaliar o impacto do fraccionamento de diferentes formulações de comprimidos de diazepam disponíveis no mercado na uniformidade de teor das duas fracções obtidas. Após fraccionamento dos comprimidos, foi avaliada a massa e o teor em substância activa nas duas fracções obtidas. Foram adicionalmente determinados alguns parâmetros físicos dos comprimidos de diazepam (friabilidade, dureza, diâmetro e tempo de desagregação). Os resultados demonstraram uma elevada variação do teor de diazepam nas fracções dos diferentes medicamentos analisados, o que revela que o processo de fraccionamento de comprimidos não representa uma forma eficaz de se obterem as doses pretendidas. O medicamento Metamidol® foi o que apresentou maior variação, o que pode ser parcialmente explicado pelo maior valor de dureza deste comprimidos.
Edição
Secção
Ciências Biofarmacêuticas / Biopharmaceutical Sciences