Metáfora e crime: a continuação do delito no centenário do libelo anti-ornamento de Adolf Loos

  • João Borges da Cunha Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

Resumo:

Ornamento: há cem anos, de que crime se tratava? Será ainda perseguido? Será ainda castigado? Será ainda um crime? No ano do centenário do ensaio «Ornamento e Crime» de Adolf Loos, uma digressão simultaneamente histórica, teórica, cultural e fenomenológica às raízes do ornamento, e a sua transformação, do dealbar do Movimento Moderno até hoje, em algo insondável e inesperado: a metáfora.

 

palavras-chave: ornamento; rasura; tectónica; “clean and cool”; metáfora; aura; culto; exposição.

 

Abstract:

Ornament: what crime was it one hundred years ago? Is it still being persecuted? Is it still being punished? Is it still being a crime? On the year of Adolf Loos’ essay “Orna- ment and Crime” centenary, a one-time historical, theoretical, cultural and phenome- nological questioning about the origins of ornament, and its changing into something fathomless and unexpected by the turning of the Modern Movement until today: me- taphor.

 

keywords: ornament; erasure; techtonics; “clean and cool”; metaphor; aura; cult; expo- sure.

Biografia Autor

João Borges da Cunha, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

João Borges da Cunha / Arquitecto pela Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa; Estudos de Mestrado em Ciências da Comunicação na F.C.S.H. da Universidade Nova de Lisboa; Doutorando em Estudos de Cultura na Universidade Católica Portuguesa; Professor Assistente Estagiário do Mestrado Integrado em Arquitectura da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; Prémio Branquinho da Fonseca Expresso/FC Gulbenkian 2003.

Edição
Secção
Architectural Design