Angústia, êxtase e revelação

  • Waldecy Tenório

Resumo

Este artigo apresenta a angústia poética como um antídoto à anestesia geral das consciênciase dos sentimentos. Depois de dialogar com a antropologia teológica de Teilhardde Chardin, a antropologia literária de Saint-Exupéry e um poema de Rui Belo,o autor afirma que, restabelecendo o contato com a fonte originária do ser, a poesia abre uma saída para a transcendência e para todos os possíveis do homem. E, desse modo, possibilita que, do fundo da sala de aula, uma voz se erga, ainda que tímida, para formular uma pergunta pelo sentido da vida.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Nov 7, 2013
Como citar
TENÓRIO, Waldecy. Angústia, êxtase e revelação. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, [S.l.], n. 12, nov. 2013. ISSN 2183-3737. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cienciareligioes/article/view/4015>. Acesso em: 22 mar. 2019.
Secção
Parte II: A Religião na sala de aula um debate sobre o Ensino Religioso para a proposição de uma área de conhecimento