A ESCOLA DO FUTURO: UMA REFLEXÃO NECESSÁRIA!

  • Maria Filomena Ferreira Rodrigues-Pimenta

Resumo

Resumo

A vida nas sociedades democráticas é complicada, não só pela complexidade das relações, como também pela heterogeneidade dos alunos; mas, sobretudo, pela conflitualidade sistemática. No entanto, este clima de tensão não pode ser encarado como uma causa perdida; deve ser enfrentado de forma colegial e capaz.  

A heterogeneidade da população escolar; a falta de formação dos professores (sobretudo, em áreas de grandes necessidades atuais, como a indisciplina e a insegurança); e a falta de meios conduzem a situações de adormecimento escolar, onde a colaboração entre pares é considerada quase interdita, na medida em que o dar-se conhecer, demonstra fragilidade por parte do docente. E se estes profissionais não colaboram entre si, as dificuldades na lecionação vão surgindo (também o seu mal-estar), com a agravante, ainda, do aparecimento da indisciplina e do abandono escolares, por parte dos alunos. Nestas escolas, onde dominam «os silêncios», o que os professores e os alunos fazem, é defenderem-se uns dos outros de situações litigiosas para se protegerem, optando por mecanismos próprios que mantêm as fronteiras e salvaguardam-se da violência.

Por isto tudo que temos vindo a expor, a escola, que conhecemos, continua a ser um espaço de transmissão de conhecimentos e de produção de comportamentos estandartizados (tal como era a escola tradicional), o que colide com o mundo atual, que é plural e exige que participemos ativamente na recriação dos saberes que recebemos; que construamos consensos e que assumamos uma postura mais exigente face a nós e aos outros.  

Palavras-chave: Escola; sociedade; conflitualidade; Professor/ Aluno.

Abstract

Life in democratic societies is difficult, not only because of the complexity of human relations, or the heterogeneity of students/leaners, but mainly because of systematic conflictuality. This environment of tension cannot be seen as a lost cause; but should rather be faced in a collective way and as a possible goal.

The heterogeneity of school population; the lack of training of teachers (in areas of great present need, like the indiscipline and the insecurity); and the lack of means may lead to a situation of inactivity of school boards described as «a school of silence». In these schools, teachers and students tend to defend from one another, in order to protect themselves, choosing mechanisms that maintain or keep those barriers.

Today's school, a place of  knowledge transmission and reproduction of standardized behaviour (as traditional ones), collide with the present world, which is plural and demands an ative participation in the reproduction of received knowledge, empowering us to seek for  agreement and to assume a more demanding  attitude towards us and others. 

Key-words: School; society; conflictuality; Teacher; Student/Learner.

Publicado
Jul 2, 2011
Como citar
RODRIGUES-PIMENTA, Maria Filomena Ferreira. A ESCOLA DO FUTURO: UMA REFLEXÃO NECESSÁRIA!. Revista EduSCIENCE, [S.l.], v. 1, p. 48 - 54, july 2011. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/eduscience/article/view/2160>. Acesso em: 29 mar. 2017.
Secção
Eixo temático 2 – Perspetivas: Escola, Identidade e Profissionalismo