CONTRIBUTO DA TEORIA DA AUTODETERMINAÇÃO NA PREDIÇÃO DA VITALIDADE E ADESÃO AO EXERCÍCIO FÍSICO

  • João Miguel Raimundo Peres Moutao Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal; Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) – Vila Real, Portugal
  • Susana Mendes Alves Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal; Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) – Vila Real, Portugal
  • Luís Filipe Cid Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) – Rio Maior, Portugal; Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) – Vila Real, Portugal
Palavras-chave: teoria da autodeterminação, equações estruturais, fitness.

Resumo

O principal objetivo deste estudo foi o de testar a validade das relações causais hipotetizadas pela teoria da autodeterminação numa amostra de 175 praticantes de fitness. Foi testado um modelo causal onde o suporte da autonomia dado pelos instrutores de fitness influência positivamente a satisfação das necessidades psicológicas básicas dos praticantes (i.e. autonomia, competência e relação) que, por sua vez, terá um impacto positivo sobre a regulação comportamental autónoma, a qual irá influenciar positivamente a vitalidade e a adesão ao exercício. Os resultados confirmaram a validade preditiva da teoria da autodeterminação, corroborando a pertinência deste modelo para o delineamento intervenções de promoção da saúde emocional e adesão ao exercício físico em ginásios.

 

Palavras-chave: regulação autónoma, equações estruturais, fitness.

.

Publicado
2012-10-26