Anaplasma phagocytophilum: REPERCUSSÃO DA INFECÇÃO DA FAUNA SILVESTRE EM CÃES E GATOS DE UMA ZONA ENDÉMICA

  • J Trincheiras FMV-ULHT
  • Â Martins Hospital Veterinário da Arrábida; FMV-ULHT
  • M Santos-Silvas Centro de Estudos de Vectores e Doenças Infecciosas INSA; Instituto de Saúde Ambiental. FM-UL
  • M Alves CBIOS FMV-ULHT
  • A Santos Centro de Estudos de Vectores e Doenças Infecciosas INSA; Instituto de Saúde Ambiental. FM-UL

Resumo

A população silvestre pode albergar uma elevada densidade de ixodídeos associados à transmissão de agentes patogénicos. Este facto é particularmente importante quando se assiste ao aumento descontrolado das populações silvestres, como se verifica, actualmente, com os javalis em Portugal. O presente estudo, procurou detectar evidências de infecção activa por Anaplasma phagocytophilum, agente zoonótico cuja transmissão poderá estar potenciada com o aumento da população de javalis no Parque Natural da Serra da Arrábida (PNSA). Foram estudados 21 javalis de três populações distintas, 35 cães e um gato com sinais clínicos, laboratoriais e/ou epidemiológicos compatíveis com doença associada a ixodídeos, atendidos no Hospital Veterinário da Arrábida (HVA) e 80 ixodídeos, capturados na vegetação (N=61) ou a parasitar animais (N=19) em áreas do PNSA. A pesquisa de ADN bacteriano foi realizada por PCR convencional genérico para Anaplasma/Ehrlichia e por PCR em tempo real específico para A. phagocytophilum. Embora em nenhuma das amostras tenha sido possível identificar reacções positivas as restrições temporais e espaciais deste estudo exploratório reforçam a importância de se realizar uma vigilância epidemiológica mais abrangente de agentes patogénicos associados a ixodídeos no PNSA.

Publicado
2020-01-27
Secção
Artigos Originais