Cartas de navegação: planejamento museológico em mar revolto

  • Manuelina Maria Cândido Profa. de Museologia da FCS/UFG – Brasil, Pós-Doutoranda na Université Paris III Sorbonne Nouvelle - França

Resumo

Este texto apresenta uma discussão em torno das idéias de planejamento museu como uma carta náutica. Seu objetivo é trazer o debate atual sobre a gestão de museus para um maior escopo de instituições, argumentando que pequenos museus também devem incluir a gestão de suas preocupações. Metodologicamente entendemos Museologia como ciência social aplicada, isso significa que ela é capaz de interferir na realidade e também é baseada em uma forte teoria, que deve estar ligadas com as práticas, a fim de qualificar os museus e, por outro lado, a realidade deve também melhorar a teoria. As cartas náuticas precisam ser flexíveis, bem como o planejamento museológico. Como a Museologia pode ajudar os museus a não se perderem em critérios de gestão que vêm de outras áreas?

Palavras-chave: Gestão de museus, planejamento museológico, Museologia, Museologia Aplicada

 

 

Biografia Autor

Manuelina Maria Cândido, Profa. de Museologia da FCS/UFG – Brasil, Pós-Doutoranda na Université Paris III Sorbonne Nouvelle - França
Publicado
2014-07-23