Dos gabinetes de curiosidade aos museus comunitários: a construção de uma conceção museal à serviço da transformação social

  • Moana Soto Integrante da Seção de Museologia do Museu Nacional/UFRJ (Brasil).

Resumo

Ao longo do tempo múltiplas concepções de museus se desenvolveram, dos velhos gabinetes de curiosidade aos museus públicos surgidos no contexto pós-Revolução Francesa, criados para construir a identidade nacional e ‘iluminar as massas’. Contudo, o surgimento de uma nova concepção museal, como uma instituição construída pela participação comunitária e a serviço da transformação social é recente, da segunda metade do século XX. Este artigo pretende apresentar o contexto de gestação e o desenvolvimento deste pela Nova Museologia. Para isso, principia mostrando a evolução dos museus até a Segunda Guerra Mundial. Depois, avança apresentando as entidades no âmbito das quais surgiriam essa nova concepção: a UNESCO, o ICOM e o ICOMOS. E, por fim, centra-se no MINOM e no desenvolvimento de suas novas idéias através de seus fóruns e resoluções, apresentando uma visão geral das mesmas. 


Palavras-chave: MINOM, ICOM, ICOMOS, Museu, Nova Museologia.


 

Publicado
Apr 18, 2015
Como citar
SOTO, Moana. Dos gabinetes de curiosidade aos museus comunitários: a construção de uma conceção museal à serviço da transformação social. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 48, n. 4, apr. 2015. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/4987>. Acesso em: 21 oct. 2019. doi: http://doi.org/10.36572/csm.2014.vol.48.03.