ACORDO INTERNACIONAL SOBRE O VALOR DAS COLECÇÕES DE CIÊNCIAS NATURAIS

  • José M. Brandão Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

O Museu e a Universidade de Manchester, realizaram em Abril p.p., a Conferência Internacional sobre o Valor e a Avaliação das Colecções de Ciências Naturais, na qual participaram 135 delegados provenientes de 31 países

Ao longo dos três dias de trabalho, foram apresentadas e discutidas várias comunicações explorando os diversos aspectos relativos ao valor científico, cultural e económico deste tipo de colecções.

As intervenções feitas procuraram responder a algumas das questões formuladas pela Organização, quanto à possível sub-avaliação das colecções de ciências naturais relativamente às colecções na área das humanidades e, em particular, das belas-artes, e às medidas a implementar no sentido de valorizar as potencialidades destas colecções bem como melhorar o nível de investimentos em termos de preservação e formação profissional do pessoal envolvido na sua manipulação.

Outro importante aspecto das colecções de ciências naturais também abordado, foi o do seu valor económico, por vezes mais enfatizado do que o valor científico e cultural.

Dada a importância do acordo firmado e garantindo deste modo a sua divulgação no nosso país, transcrevemos seguidamente a sua adaptação para língua portuguesa.

Como citar
M. BRANDÃO, José. ACORDO INTERNACIONAL SOBRE O VALOR DAS COLECÇÕES DE CIÊNCIAS NATURAIS. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 5, n. 5, june 2009. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/257>. Acesso em: 19 oct. 2019.