PRIMEIRA PARTE - PROGRAMAS MUSEOLÓGICOS

  • Kátia Regina Felipini Neves Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

Programas museológicos: o que são e qual a sua importância para os museus e instituições afins? São estas as questões, e os seus desdobramentos, que trataremos neste capítulo.

Inúmeras são as razões pelas quais os estudos de programação museológica vêm tomando relevância: pelas reflexões no âmbito da Museologia, que têm ampliado conceitualmente as noções de património bem como o papel do museu na sociedade, pelas grandes transformações que têm passado estas instituições como resultado dessas reflexões, pela multiplicação dos museus, pelo aumento de públicos cada vez maiores e mais exigentes e pelas dificuldades financeiras. Em virtude destes factores, há uma crescente necessidade de repensar formas de gestão museal mais eficientes para que, se não alcancem a auto-sustentabilidade, ao menos possam alocar seus recursos de forma mais eficaz, sem desperdícios de tempo e de dinheiro.

Como citar
NEVES, Kátia Regina Felipini. PRIMEIRA PARTE - PROGRAMAS MUSEOLÓGICOS. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 21, n. 21, june 2009. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/381>. Acesso em: 19 oct. 2019.