3. CONTRIBUTOS PARA UMA AUTOSCOPIA MUSEAL – EXERCÍCIOS DE AUTO-AVALIAÇÃO EM SERVIÇOS EDUCATIVOS

  • Isabel Margarida Melo Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

However, museums, long used to being funded as a ‘public good’, do not have a tradition of planning activities with social impact in mind and the result is that the fundamental structure on which impact evaluation is based is underdeveloped (Scott, 2003:3).

 

Como já referimos na introdução, esta dissertação propõe-se contribuir para a discussão em torno das valências dos sistemas de gestão da Qualidade quando aplicados ao campo museal. O seu enfoque particular visa os serviços educativos dos museus, procurando avaliar os seus processos e resultados através dos instrumentos teóricos e metodológicos da Qualidade.

Partindo da premissa de que os museus que aplicam os Sistemas da Qualidade nas suas práticas museais estão mais aptos a inspirarem e apoiarem as necessidades de aprendizagem dos seus utilizadores, procurámos adaptar e aplicar um exercício de auto-avaliação, cujo objectivo primordial seria o suscitar do debate interno graças ao auto-conhecimento e reconhecimento que dele decorressem.

Como citar
MELO, Isabel Margarida. 3. CONTRIBUTOS PARA UMA AUTOSCOPIA MUSEAL – EXERCÍCIOS DE AUTO-AVALIAÇÃO EM SERVIÇOS EDUCATIVOS. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 32, n. 32, june 2009. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/495>. Acesso em: 24 oct. 2019.