O futebol na construção das representações identitárias nos museus

  • Lúcia Alegrias

Resumo

Os museus desportivos revelam-se atentos às preocupações sociais contemporâneas e às temáticas relevantes para as sociedades plurais, que pautam a adopção do museu por estratégias inclusivas e novas linguagens museais. Envolvem as comunidades conferindo-lhes um sentido de participação nos processos de representação cultural e identitária. Constituindo-se o futebol uma produção cultural de um tempo, de um agora ou de uma formação social específica, poderemos interrogar-nos qual o posicionamento destes museus no âmbito da Sociomuseologia. Por outras palavras, poderemos começar por nos questionar se o ethos dos museus de futebol incorporam a dimensão social produzida, ou se esta sua dimensão é inerente aos discursos museológicos ai concebidos e evocados. Das Salas de Troféus aos Museus de Futebol atuais evoca-se a reflexão sobre os desafios permanentes à redefinição do pensamento museológico e ao conhecimento das suas dinâmicas. O nosso projeto de investigação privilegia o permanente diálogo com o tema, problemáticas e hipóteses demarcadas pelos conceitos sociais que sustentam a ação museológica nestes museus, como os conceitos de identidade e memória. Processos que surgem estruturados sobre a construção das representações identitáriasno futebol.

Palavras-chave: Identidade; Memória; Sociomuseologia; Museus Desportivos; Futebol

Publicado
2017-07-11
Como Citar
Alegrias, L. (2017). O futebol na construção das representações identitárias nos museus. Cadernos De Sociomuseologia, 54(10). https://doi.org/10.36572/csm.2017.vol.54.06