Desafios na preservação do patrimônio afro-brasileiro no MAFRO/UFBA

  • Maria Teixeira Universidade Federal da Bahia MAFRO/UFBA

Resumo

O património afro-brasileiro tem sido, ao longo dos séculos, negligenciado pela academia e pelas intituições, em muito espelhando os preconceitos e racismo estrutural da nossa sociedade. Neste artigo será tratado, no ambito da Museologia Social, ações de preservação do Patrimônio Afro-Brasileiro realizadas no Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia (MAFRO/UFBA), no período de 2011 a 2016. O MAFRO é um museus universitário que nasceu em 19740 com a incubência de preservar e divulgar a memória, tratar dos acervos referentes às culturas africanas e afro-brasileiras e incentivar contatos com a comunidade local. As ações de preservaçãa qui tratadas,realizadas entre 2011 e 2016, foram desenvolvida em prol de pesquisas direcionadas ao acervo e as sua problemáticas, da preservação dos bens móveis e dos processos de comunicação. Estas ações foram marcadas por desafios e problemas que se foram revelando na interface entre a preservação e a comunicação do patrimônio. 


Palavras-chave: Patrimônio. Preservação. Museu. Comunicação.

Publicado
Oct 18, 2019
Como citar
TEIXEIRA, Maria. Desafios na preservação do patrimônio afro-brasileiro no MAFRO/UFBA. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 58, n. 14, p. 19-38, oct. 2019. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/6922>. Acesso em: 12 nov. 2019. doi: http://doi.org/10.36572/csm.2019.vol.58.02.