No tempo do “Seu” Durval...

  • Bianca de Moura Wild Mestre em Humanidades, Professora da Rede Estadual de Educação, Vice presidente da Associação brasileira de ecomuseus e museus comunitários, Fundadora do Ecomuseu de Sepetiba

Resumo

O presente artigo tem por escopo principal refletir acerca das representações e funções da memória na velhice, símbolos e expressões que envolvem este conceito, bem como sua “utilidade” e incumbência nesta época da vida. Trata-se de uma análise inicial, cujo estímulo surgiu a partir de entrevistas realizadas para uma pesquisa acadêmica acerca da construção da memória em um bairro da Zona Oeste da cidade do Rio de janeiro. Analisamos aqui os casos de Seu Durval, Seu Salviano e Silvan Guedes, três dos entrevistados para a referida pesquisa, moradores do bairro de Sepetiba, localizado na Zona Oeste da cidade, que um dia possuiu notoriedade e expressão e atualmente encontra-se degradado e esquecido.

 

Publicado
2020-06-03
Como Citar
de Moura Wild, B. (2020). No tempo do “Seu” Durval. Cadernos De Sociomuseologia, 59(15), 3-23. https://doi.org/10.36572/csm.2020.vol.59.01