Rota do Mármore do Anticlinal de Estremoz (Projecto)

  • Alfredo Tinoco Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  • Carlos Filipe
  • Ricardo Hipolito

Resumo

A região de Estremoz, Borba, Vila Viçosa (o Anticlinal de Estremoz) é uma das mais antigas e mais produtivas superfícies de extracção de mármores do nosso país. A importância sócio-económica desta actividade é bem conhecida. As memórias pessoais e sociais que ela gerou ao longo dos tempos serão hoje impossíveis de reconstituir. Mas estamos ainda a tempo de resgatar as vivências das últimas gerações que trabalharam nas pedreiras – empresários, técnicos e operários. Será igualmente possível reconstituir os saberes técnicos e científicos que a extracção dos mármores foi gerando ao longo dos séculos de actividade.O trabalho humano transformou o mármore em bens patrimoniais históricos e artísticos, esses sim, visíveis não apenas na região, e em grande abundância, mas um pouco por todo o país e nos quatro cantos do mundo.Este conjunto de bens patrimoniais (materiais e imateriais) é um recurso inestimável que temos à nossa disposição para o desenvolvimento económico e social da região e para o desenvolvimento cultural de todos os que intencionadamente dele quiserem usufruir.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Apr 3, 2012
Como citar
TINOCO, Alfredo; FILIPE, Carlos; HIPOLITO, Ricardo. Rota do Mármore do Anticlinal de Estremoz (Projecto). Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], n. 42, apr. 2012. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/2824>. Acesso em: 16 sep. 2019.

Leia mais artigos do mesmo autor(s)

1 2 > >>