A ESCOLA E O MUSEU NO BRASIL: UMA HISTÓRIA DE CONFIRMAÇÃO DOS INTERESSES DA CLASSE DOMINANTE

  • Maria Célia Teixeira Moura Santos Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

Este texto pretende ser uma incitação ao debate sobre algumas características da política educativo-cultural brasileira, no contexto social, político e econômico do país, e sua influência na ação educativa dos nossos museus, tomando como base algumas referências de caráter teórico, bem como a nossa vivência na área educativa dos museus, durante 14 anos, desempenhando diversos programas com professores e alunos do 1º e 2º graus, principalmente da rede oficial de ensino.

As reflexões que aqui serão apresentadas não enfocarão somente os aspectos pedagógicos e metodológicos, por considerarmos que estes estão intimamente relacionados com os aspectos sociais, políticos e econômicos do país, sendo que a práxis do museu e da Escola tem contribuído, directa ou indirectamente, no sentido de confirmar a ideologia dominante.

Realizaremos, pois, algumas considerações de caráter histórico1, sem o objetivo de nos aprofundarmos, mas utilizando-as como referencial para nos situarmos nos diversos períodos, vez que serão determinantes fundamentais na atuação dessas instituições. Em seguida, tentaremos situar o desempenho dos nossos museus nesse contexto, o que, a nosso ver, tem confirmado a proposta do modelo educacional estabelecido, repetindo, na maioria das vezes, as práticas pedagógicas da Escola.

Como citar
SANTOS, Maria Célia Teixeira Moura. A ESCOLA E O MUSEU NO BRASIL: UMA HISTÓRIA DE CONFIRMAÇÃO DOS INTERESSES DA CLASSE DOMINANTE. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 3, n. 3, may 2009. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/306>. Acesso em: 14 oct. 2019.