PARTE III - ENQUADRAMENTO TEÓRICO DA MUSEOLOGIA

  • Isabel Victor Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

Capítulo 1

1. A museologia uma ciência \ a novamuseologia o paradigma da sua contemporaneidada

2. Contributos para uma nova museologia

2.1. A declaração de caracas lança os princípios da gestão pela qualidade em museus

3. Especificação de algumas etapas e conceitos basilares da nova museologia

4. Articulação entre os princípios da qualidade e os fundamentos da museologia social

 

Resumo: A museóloga, pedagoga e teórica da museologia, Maria Célia Santos, em entrevista concedida a Mário Souza Chagas, em 1998, refere que

(...) ”a museologia é uma ciência em processo, como tal, em permanente construção. Não me parece pertinente, portanto, considerar a existência de uma nova museologia, sob a pena de esvaziá-la, de retirar do seu contexto toda a produção que a antecedeu, desprezando essa produção com o sentido pejorativo do velho, obsoleto, inútil, quando esta deve ser considerada a base, o apoio necessário que nos fundamenta para novas investidas.”

Nessa mesma entrevista, Maria Célia Santos, faz distinção entre o conceito de nova museologia, modelado pelo movimento que a gerou e a museologia propriamente dita, a disciplina científica que enquadra e reelabora teoricamente, todas as abordagens e contributos para o esclarecimento do seu objecto. Ressalta o contributo do Movimento para uma Nova Museologia, para a renovação da museologia como ciência.

 

Como citar
VICTOR, Isabel. PARTE III - ENQUADRAMENTO TEÓRICO DA MUSEOLOGIA. Cadernos de Sociomuseologia, [S.l.], v. 23, n. 23, june 2009. ISSN 1646-3714. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/401>. Acesso em: 21 oct. 2019.