Cultura, fenômenos sociais e currículo do Ensino Superior: articulações via museu e universidade

Resumo

O objetivo deste texto é refletir sobre a necessidade da articulação institucional entre museu e universidade. Busca-se enfatizar a pertinência da aproximação entre cultura, fenômenos sociais e currículo do Ensino Superior, tendo como pressupostos os conceitos da Museologia Social, a perspectiva crítica e contemporânea de currículo e reflexões sobre a universidade, partilhadas, sobretudo, pelo filósofo brasileiro Álvaro Vieira Pinto e pelo filósofo espanhol José Ortega y Gasset. A universidade, assim como o museu, formula e comunica sentidos por meio de discursos. Ambas as instituições são, assim, produtoras e geradoras de significados. Ao promoverem discussões e arranjos conceituais que revelam a realidade e reflexões sobre diferentes áreas do conhecimento, o museu pode ressignificar o discurso construído na universidade e o público participante desse processo (corpo discente, corpo docente, público do museu) e redefinir o discurso de modo criativo, uma vez que o interpreta de modo particular e oportuno. Esse caráter de instrução pública confere ao museu ainda mais legitimidade para a construção de novas narrativas, e a universidade aproxima-se ainda mais do seu papel formador para a criação de protagonismos sociais de diferentes segmentos.

Palavras-chave: Museu; Universidade; Cultura; Currículo.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Pasqualucci, L. (2020). Cultura, fenômenos sociais e currículo do Ensino Superior: articulações via museu e universidade. Cadernos De Sociomuseologia, 60(16), 3-20. https://doi.org/10.36572/csm.2020.vol.60.01