Formação continuada de professores da educação superior: novas linguagens, novas práticas, novos desafios

Resumo

 


O texto que apresentamos pretende ser uma reflexão, a partir da literatura ajustada à temática, sobre a formação continuada de professores da educação superior e os desafios que se lhes colocam numa sociedade globalizada, infiltrada pelas políticas neoliberais que invadiram também o mundo educativo. Refletimos sobre as novas linguagens impostas pelas agências internacionais de regulação, em tempos de globalização, e que têm implicações nos processos educativos e nas concepções sobre educação. Consideramos ser importante sugerir, a partir de um conjunto de autores, a superação do professor monocultural e a exigência de um novo professor – multicultural -, capaz de promover a interculturalidade na sua prática pedagógica. Para isso, se torna necessário a articulação entre pesquisa e prática pedagógica. Percorremos alguns textos de Cortesão, Nóvoa, Sousa Santos e Walsh que conosco refletiram sobre as diversas temáticas abordadas. Consideramos que o pensamento de Freire, abordado no final do texto, se encontra numa linha de consonância com as perspectivas dos autores anteriormente referidos. O texto apresentado não contempla uma dimensão empírica, constituindo um suporte teórico para um trabalho de pesquisa de campo em curso.


Palavras-chave: educação superior; formação continuada; multiculturalismo; interculturalismo; neoliberalismo.

Publicado
Aug 20, 2017
Como citar
GOMES, Sandra Rosa; TAVARES, Manuel. Formação continuada de professores da educação superior: novas linguagens, novas práticas, novos desafios. Revista Lusófona de Educação, [S.l.], v. 36, n. 36, aug. 2017. ISSN 1646-401X. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/5988>. Acesso em: 20 nov. 2017.