A bioliteracia e a cidadania: os alunos do ensino secundário

  • Conceição Soeiro Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Resumo

 


A Escola não pode ignorar a multiplicidade de problemas deste mundo globalizado, cabendo-lhe um papel acrescido de responsabilidade na promoção da bioliteracia dos jovens. Neste século, as grandes descobertas no campo da Biologia têm confrontado os cidadãos com questões que, pela sua natureza, exigem destes um grau de bioliteracia que os capacite a intervir e agir na sociedade. Neste artigo, vamos apresentar os dados resultantes de um trabalho de investigação centrado na avaliação do grau de bioliteracia dos alunos do ensino secundário, nos anos de 2008-2009 e 2009-2010, cuja reforma vigente fora promulgada pelo XV Governo Constitucional, em 2004. A opção metodológica teve como base a aplicação de um questionário aos alunos do ensino secundário. Os resultados obtidos permitiram constatar diferenças significativas no nível geral de bioliteracia dos estudantes do ensino secundário consoante determinadas condições sociodemográficas. De um modo geral, podemos concluir, pelos resultados obtidos, que metodologias ativas, que vão ao encontro das principais premissas nas atuais políticas educativas, podem ter contribuído para os resultados globalmente satisfatórios na bioliteracia dos alunos em fase de conclusão do ensino secundário.


Palavras-chave: bioliteracia; ensino secundário; ensino da Biologia; políticas educativas.

Publicado
Aug 20, 2017
Como citar
SOEIRO, Conceição. A bioliteracia e a cidadania: os alunos do ensino secundário. Revista Lusófona de Educação, [S.l.], v. 36, n. 36, aug. 2017. ISSN 1646-401X. Disponível em: <http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/5989>. Acesso em: 20 nov. 2017.