Superando a história única: a educação patrimonial como instrumento de democratização cultural no Distrito Federal

Resumo

Este artigo tem como objetivo tecer algumas reflexões sobre desafios e potencialidades da educação patrimonial no contexto do Distrito Federal a partir de uma perspectiva sociomuseológica. Considerando que a memória é fundamento para a construção da identidade social e que este processo se redefine permanentemente na relação dialógica com o outro, os patrimônios e museus são importantes instrumentos para restabelecer estes diálogos da diversidade. Diante de museus e espaços culturais que reiteram o discurso consagrado a respeito da construção de Brasília, privilegiando nomes e fatos específicos, como fazer valer a relação patrimônio, identidade e cidadania efetivamente? Busco, por meio da experiência como educadora em espaço cultural, refletir sobre percepções, potencialidades e abordagens que visem a superar a história única, incluindo outras vozes nesta relação em vista de uma educação para autonomia e para a democratização cultural.

Palavras-chave: Patrimônio. Educação Patrimonial. Diversidade Cultural. Brasília. Distrito Federal.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Pacheco, K. (2020). Superando a história única: a educação patrimonial como instrumento de democratização cultural no Distrito Federal. Cadernos De Sociomuseologia, 60(16), 43-61. https://doi.org/10.36572/csm.2020.vol.60.03