A modalidade de escolha do diretor na escola pública portuguesa

  • Maria João Carvalho Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Resumo

Considerando o protagonismo que a figura do diretor de escola adquiriu, quisemos conhecer as representações que os professores da escola pública portuguesa têm relativamente à modalidade de escolha do diretor para concluirmos se ela se constitui, ou não, como um instrumento ao serviço da escola democrática. Para tal, problematizamos a ideia de participação enquanto capacidade decisória por parte dos atores educativos e fizemos uma incursão pelo modo de nomeação, concurso público e eleição, na tentativa de perceber qual aquele que se revela mais concordante com práticas democráticas. Com o recurso a conversas informais e a entrevistas realizadas a quinze professores de um Agrupamento de Escolas foi possível concluir que a eleição indireta não arrecada simpatia e pode traduzir-se, na ótica dos entrevistados, como uma prática antidemocrática por afastar da esfera decisória o universo dos professores por uma questão tão relevante.

Palavras-chave: diretor; democracia; participação; eleição.

Publicado
May 17, 2013
Como citar
CARVALHO, Maria João. A modalidade de escolha do diretor na escola pública portuguesa. Revista Lusófona de Educação, [S.l.], v. 22, n. 22, may 2013. ISSN 1646-401X. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/3284>. Acesso em: 12 nov. 2019.