Repensar as Lideranças Escolares em Questões de Aprendizagem e Equidade

  • Elisabete Ferreira Universidade do Porto
  • José Alberto Correia Universidade do Porto
  • Adélia Lopes Universidade do Porto

Resumo

Este texto centra-se na problemática das lideranças em contextos escolares de autonomia, numa conjuntura de inconsistências estruturais, processuais, ideológicas e praxeológicas que são vividas e sentidas na governação das escolas portuguesas. Consideramos que as práticas de liderança se desenvolvem em processos humanos complexos, sociais e afetivos onde a comunicação toma lugar de destaque nas questões da aprendizagem e da equidade. Neste sentido, assumimos como necessária a (re)conceitualização da organização educativa enquanto Escola-cidade (Correia, 2008) e enquanto espaço de desenvolvimen- to de uma agência humana capaz (Ferreira, 2012a) de refletir as lideranças escolares em novas formas de comunicação, criatividade e decisão na escola autónoma. Apoiando-nos então, no paradigma da interpelação defendido por Correia (1998), entendemos a importância da relação e da comunicação, do diálogo, da participação coletiva na construção duma escola autónoma e(a)fetivamente democrática e de qualidade. Conscientes dos desafios que se colocam às escolas autónomas e aos seus/suas diretores/as em defesa de uma escola pública para a equidade e a aprendizagem trazemos à discussão neste artigo intertextualidades e a reconstrução das lideranças escolares.

Palavras-chave: liderança; equidade; aprendizagem.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##
Publicado
Jun 27, 2015
Como citar
FERREIRA, Elisabete; CORREIA, José Alberto; LOPES, Adélia. Repensar as Lideranças Escolares em Questões de Aprendizagem e Equidade. Revista Lusófona de Educação, [S.l.], v. 30, n. 30, june 2015. ISSN 1646-401X. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/5129>. Acesso em: 20 sep. 2019.