CALL FOR PAPERS | Monográfico Prensa Pedagógica

2022-08-13
Editores convidados: José María Hernández Díaz, Alesia Cachazo Vasallo, Álvaro Nieto Ratero e Pedro Seguro Romero Universidade de Salamanca/Universidade de Coimbra/ Universidade de Leão

Nota introdutória 

Ao longo da nossa história, os seres humanos têm sentido a necessidade de comunicar, tanto verbalmente como por escrito, com materiais rudimentares e mais elaborados, com os nossos pares.

O advento da imprensa tornou muito mais fácil para nós a comunicação com um grande número de pessoas. Os periódicos marcaram um antes e um depois para a informação na sociedade, e o mundo da educação, sempre muito aberto às novas mudanças que ocorrem noutros ambientes, foi capaz de ver a utilidade deste meio.

A imprensa periódica pedagógica tem significado uma forma diferente de comunicar com o mundo exterior, com o mundo não meramente educativo, mas tornou-se também uma plataforma para mostrar as preocupações dos seus protagonistas, aqueles que fazem o ensino, aqueles que vivem o processo ensino-aprendizagem, mas também tem servido para iniciar as crianças mais novas no mundo da leitura e da escrita. Estas publicações também serviram para justificar os professores numa altura da história em que o seu papel era considerado fundamental, mas as suas condições de vida e profissão deixaram muito a desejar. Em alguns casos, tornaram-se plataformas de formação, de promoção de novas metodologias e de incorporação de diferentes dinâmicas escolares.

Os jornais pedagógicos são um testemunho público dos progressos ou retrocessos no sistema educativo, mas também uma ponte de comunicação para a comunidade escolar defender os seus direitos e ser informada dos desenvolvimentos educativos. São um meio de divulgação das produções escolares dos alunos, bem como de textos literários, poemas e outros textos de natureza cultural escritos por professores, famílias, pessoal administrativo e de serviços, inspetores, etc. Tudo isto contribui para tornar a imprensa educativa parte do património educativo de um país, uma vez que pode ter um significado histórico para os cidadãos após o seu tempo na escola.

A imprensa educativa mudou, tal como a sociedade em que está imersa. Hoje falamos de jornais digitais onde antes só existiam boletins escolares, por exemplo, o que significa que passamos de consultas presenciais em escolas, sindicatos, administração educacional ou bibliotecas de jornais para o acesso aos diferentes repertórios documentais em que se encontram, de qualquer parte do mundo e em qualquer altura, com um único clique. 

No entanto, embora os meios de comunicação social possam mudar, o que não mudará é a principal função das publicações periódicas pedagógicas, que é aproximar a sociedade da realidade da educação num período histórico específico.  

Aceitam-se artigos teóricos e empíricos e estudos comparativos.

Serão também aceites entrevistas e recensões de livros recentes publicados sobre o assunto:

EIXOS TEMÁTICOS
  1. A imprensa infantil
  2. A imprensa dos estudantes universitários.
  3. A imprensa dos professores, tanto do ensino primário como do secundário.
  4. Imprensa dos professores universitários.
  5. A imprensa das congregações religiosas.
  6. A imprensa da administração educacional.
  7. A imprensa educativa nas ditaduras do século XX.
  8. A imprensa das associações de professores e movimentos sindicais ligados à educação.
  9. Experiências concretas com a imprensa pedagógica na sala de aula.
  10. A imprensa educativa como uso didáctico.
  11. Imprensa pedagógica em papel versus digital.
  12. A imprensa educativa em diferentes contextos.
  13. Secções pedagógicas na imprensa em geral.

Línguas de submissão dos textos: português, francês, inglês e castelhano

Calendário

Submissão: até 31 de Janeiro de 2023

Notificação dos autores: até Abril de 2023

Publicação prevista: 2ª metade de 2023 

Email para envios e consultas

callprensapedagog@gmail.com

Regras de apresentação de RLE

As contribuições terão entre 30.000 e 40.000 caracteres com espaços, incluindo o resumo de 1.500 palavras em cada uma das quatro línguas.

Números, tabelas (jpeg), imagens (jpeg).

Ver também: Author Guidelines