As configurações identitárias dos educadores de infância do setor público e do setor privado na primeira década do séc. XXI

  • Margarida Marta Universidade do Porto
  • Amélia Lopes Universidade do Porto

Resumo

Na primeira década do séc. XXI, fruto de políticas educativas gerais e específicas,a educação pré-escolar sofreu mudanças profundas que se terão plasmado,quer nos modos de vida do setor público e do setor privado, quer nas relações antes estabelecidas entre os dois setores. Neste artigo, apresentam--se e discutem-se resultados de uma investigação que teve por foco o impacto das políticas educativas na primeira década do séc. XXI nas identidades dos educadores de infância dos setores público e privado. O estudo é suportado teoricamente pela noção de construção de identidades profissionais de Claude Dubar, pela noção de construção de identidades profissionais docentes como constructo ecológico de Amélia Lopes, pelo conceito de identidades no trabalho de Sainsaulieu e pelo conceito de identidade psicossocial de Marisa Zavalloni. Metodologicamente, utilizou-se o Inventário de Identidade Psicossocial de Mariza Zavalloni. Colaboraram no estudo 59 educadores de diversas instituições privadas e de diversos agrupamentos de escolas. Os resultados indiciam um fortalecimento da vertente educativa no setor privado, induzindo a um novo profissionalismo, e a existência de perdas e ganhos nas configurações identitárias dos educadores do setor público, emergentes da nova lógica de governação das organizações educativas.

Palavras-chave: construção de identidades profissionais; educação de infância; setor público; setor privado.

Publicado
May 17, 2013
Como citar
MARTA, Margarida; LOPES, Amélia. As configurações identitárias dos educadores de infância do setor público e do setor privado na primeira década do séc. XXI. Revista Lusófona de Educação, [S.l.], v. 22, n. 22, may 2013. ISSN 1646-401X. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/3287>. Acesso em: 12 nov. 2019.