Universidade Tecnológica Federal do Paraná e Instituto Politécnico de Bragança: uma perspectiva de coesão territorial

Resumo

O presente estudo visa compreender o papel da Universidade Tecnológica Federal do Paraná no Brasil e do Instituto Politécnico de Bragança em Portugal, no que concerne as políticas internas desenvolvidas numa perspectiva de coesão territorial e de afirmação nacional e internacional, com vista ao desenvolvimento regional. A UTFPR é a primeira e única Universidade Tecnológica (UT) do Brasil, criada em 2005, após transformação induzida por mudanças legais impostas ao ensino profissional no País. O IPB criado a partir da Reforma de Veiga Simão (1973) como parte de uma estratégia política para diversificação e democratização do acesso ao ensino superior português. O corpus documental da pesquisa é composto por documentos oficiais da instituição e entrevistas semiestruturadas aplicadas a gestores envolvidos tanto no processo de constituição destas instituições quanto de seu momento atual. Os dados foram tratados através da técnica de Análise de Conteúdo. Constatou-se que as atividades extensionistas estavam mais presentes nos primeiros anos da UTFPR. Verificamos que há pouco incentivo da UTFPR para a extensão, sem políticas internas que meçam o relacionamento dos docentes com o meio. No caso do IPB verificou-se que a instituição conseguiu organizar estratégias próprias e redefinir sua missão voltada para o desenvolvimento da região.

Palavras-chave: Universidade Técnológica Federal do Paraná no Brasil; Instituto Politécnico de Bragança; coesão social.

Publicado
2020-06-22